Devoção do Mês de Junho

Sétimo dia

Nobreza e excelência do Coração de Jesus

É o Coração de Jesus o altar em que se ofereceu o sacrifício mais agradável ao Criador.

É sobre este altar que devemos depositar todos os nossos votos e oferecer nossos corações, para que o Senhor benignamente os escute e acolha. Toda a honra que as criaturas até agora lhe têm tributado, todos os seus louvores, sacrifícios, adorações e amor, são efeitos que dele emanam; os quais em nada se podem comparar com a honra que Ele sozinho rende à Soberana Grandeza, pois é só Ele quem a ama e reverencia à altura de seu mérito divino.

O que de mais agradável podemos fazer a Deus é oferecer-lhe o Coração de seu Filho; o meio mais eficaz de obter feliz êxito de nossos pedidos, é dirigi-las a Ele pelo Coração de Jesus, dizendo-lhe no mesmo espírito do Profeta Real: "Senhor, baixai vossos olhos sobre mim em vossa misericórdia; porém, como nada achareis que não mereça punição, levantai-os para o Rosto e Coração do vosso amado Filho. Não me olheis, por assim dizer, senão através daquelas chagas que vos pedem perdão, e para obtê-lo são onipotentes. Lembrai-vos do amor imenso de vosso Coração a esta mísera criatura, e não condeneis a obra prima de vossa misericórdia, o fruto de vossos trabalhos."

Santa Gertrudes soube um dia que todas as religiosas de sua Comunidade, que estavam diante do Santíssimo Sacramento, recebiam a graça divina. Estas, parecia que tiravam os sagrados influxos do Coração de Jesus; aquelas, das mãos; aquelas outras, dos pés, traspassados pelos cravos. Com a diferença, porém, de que quanto mais longe do Coração hauriam, mais custo tinham em alcançar o êxito de seus desejos. Ao passo que aquelas que hauriam diretamente no Coração de Jesus, mais pronta e facilmente conseguiam o que almejavam.

Foi no Coração de Jesus que a Igreja nasceu. Devem, portanto, os fiéis amá-lo como seu, e nunca sair dele.

Estando Jesus adormecido com o sono da morte, a Igreja foi tirada de seu Coração; quis Ele que fosse este aberto, para dar à sua Igreja motivo de glorificar-se de haver saído do lado de seu Salvador. Bem-aventurada a alma que, prestes a entrar na eternidade, puder dizer com um dos mais ardentes apóstolos da devoção ao Sagrado Coração: "Pensando no amor do Coração de Jesus para comigo, muitas vezes refleti: o Coração de Jesus me é berço e morada durante a vida, oxalá seja-me também sepultura na morte! Ele me fez penetrar o sentido destas três palavras: berço, morada, sepultura".

 

 


"O Coração de Jesus é o coração da Igreja, o qual vela enquanto esta dorme. Ego dormio et cor meum vigilat (Ct 5,2). Diz a Escritura Sagrada que os primeiros cristãos só tinham uma alma e um coração: não se admira. Pois era o Coração de Jesus que neles vivia e que a todos inspirava o amor das coisas celestes" (Nouet).

Não poderá esse venturoso tempo, esse concerto geral para o bem, reaparecer entre aqueles que a mesma devoção vai reunir no Coração de Jesus? Empreguemos ao menos nesta diligência todas as nossas forças, dando-nos mesmo o exemplo de completa dedicação ao Coração de Jesus; esmeremo-nos por obter pelas nossas orações e boas obras, unidas às do divino Coração, que o resto dos verdadeiros cristãos formem também - como nos primeiros séculos da Igreja - um só coração para amar o Coração de Jesus, uma só voz para louvá-lo e bendizê-lo, uma só alma, cujos movimentos reunidos sejam consagrados ao amor e à glória do Coração de Jesus.

Prática

Renovai todas as manhãs ao despertar, as obrigações que assumistes no santo batismo. Podeis servir-vos da fórmula seguinte: "Ó Coração de Jesus! De novo renuncio a Satanás, a suas pompas e obras, e de todo a vós me consagro para todos os instantes de minha vida!"

Oração jaculatória

Anátema seja quem não vos amar, ó Coração de Jesus! Si qui son amat Dominum nostrum Jesum Christum, sit anathema.

3 vezes:
Divino Coração de Jesus, tende piedade de nós.
Coração Imaculado de Maria, rogai por nós.

Devoção do mês de junho
Devoções