Devoção do Mês de Junho

Oitavo dia

Ternura do Coração de Jesus pelos homens

A qualidades brilhantes e magníficos títulos, Jesus alia uma ternura pelos homens que toca o extremo: "São minhas delícias estar com os filhos dos homens" (Prov. 8). Tão amável é a sua doçura, que chegou a encantar seus maiores inimigos. A seus pés conduzem uma mulher adúltera, ele se recusa a condená-la, e envergonha os que a acusaram.

Deixa-se aproximar pelos pecadores e com eles se confunde, consente que o chamem amigos dos pecadores, e de alguma forma o é, com efeito.

Assenta-se à mesa dos publicanos.

Quem vedes a seus pés e neles encontra asilo? A Madalena, pecadora de profissão; e por um só ato de amor lhe perdoa uma vida inteira de desordens e escândalos. Ó Madalena, não fostes vós quem destes os primeiros passos para este bom Mestre: foi Ele quem bateu e esperou à porta de vosso coração, antes de ver-vos curvada a seus pés, banhando-os com vossas lágrimas e enxugando-os com vossos cabelos. "Muitos pecados vos foram perdoados, porque muito amastes"; mas, ainda muito mais porque fostes amada.

Jesus estende seus desvelos até às criancinhas ainda incapazes de conhecê-lo, porém que sua doçura atrai: "Deixai, deixai vir a mim esses meninos", diz-lhes, e acarinha-os, abençoa-os e digna-se abraçá-los. Se seus pais chegassem a abandoná-los, Ele tomaria cuidado deles; pois se a própria mãe esquecesse os filhinhos, não os esqueceria Ele. Vede como recebe o pródigo que, prostrado a seus pés, confessa já não ser digno do nome de filho; vede como corre-lhe ao encontro, como estreita-o nos braços, como banha-o com lágrimas e o restabelece, ao primeiro sinal de arrependimento, em todos os direitos à herança e à afeição paternas.

Esse incomparável Pastor passou derramando benefícios. Ah! O seu aprisco está cheio de enfermos; com as próprias mãos cura-lhes as chagas, unge-lhes as feridas com óleo e vinho; aos cegos restitui a vista, aos paralíticos o movimento. Se uma mãe chora o filho único, comove-se o Coração de Jesus; bem sabe que dores e lágrimas lhe custarão tantos filhos queridos, precipitados na morte horrenda do pecado. "Moço, ordeno que te levantes"; e o restituiu a sua mãe.

Vede-o sentado à borda do poço de Jacó, cansado do caminho que lhe foi preciso andar para lá chegar; espera a Samaritana, segue-a o seu Coração e a conduz a buscar as águas da vida eterna ali, onde ela só procurava águas corruptíveis. Jesus desperta-lhe na alma deliciosa sede que antes ela não conhecia; e revela a esta insigne pecadora o segredo de sua missão divina.

 

 


Vede-o no sepulcro de Lázaro, a quem se digna chamar de amigo; chora... e os judeus admirados exclamam: "Vede como Ele o amava! Ecce quo modo amabat eum!"

Mas, ainda não basta de suores, de fadigas, de vigílias. O dulcíssimo Salvador disse: "O bom Pastor dá a vida pelas suas ovelhas".

Da-la-á por amor delas e por elas se deixará sacrificar. Reunindo seus Apóstolos na última ceia, o que fez? Ó invenção amorosa deste adorável Coração, superior a todas as suas obras! Os outros pastores alimentam-se das suas ovelhas; Jesus, porém, acha meio de dar-se em alimento às suas!

Prática

Em todas as vossas dúvidas, penas e aflições, dirigi-vos ao Sagrado Coração de Jesus, como um filho a seu pai, como um amigo a seu amigo, rogando-lhe que se digne ser vossa luz, vosso arrimo e consolação.

Oração jaculatória

Dai-me, ó Jesus, dessa água, cuja fonte é o vosso Coração, a fim de que eu não tenha mais sede. Domine, da mihi hane aquam, ut non sitiam (Jo 4,15).

3 vezes:
Divino Coração de Jesus, tende piedade de nós.
Coração Imaculado de Maria, rogai por nós.

Devoção do mês de junho