Devoção do Mês de Junho

Vigésimo terceiro dia

Prática em honra do Sagrado Coração de Jesus

Em cada momento da vida Deus nos distribui Suas graças, por causa dos merecimentos e do Sangue de Seu Filho, facilitando-nos a aquisição de imensos tesouros para a eternidade. Cumpre, porém, confessar que todos os dias temos, pela nossa negligência, perdas incompreensíveis. A maior parte de nossas ações perde seu valor por falta de intenção pura. Convém sair dessa letargia; e o melhor meio de tornar nossas ações o mais meritórias possível para nossa salvação e gloriosas para Deus, é servimo-nos da seguinte prática que Blozius nos ensina. Diz ele: "Consiste em oferecer vossas boas obras e todas as vossas ações ao Sagrado e dulcíssimo Coração de Jesus, a fim de que por ele sejam purificadas; pois tanto amor vos tem que está sempre pronto a aperfeiçoar do modo mais digno de Si o bem que em vós pôs.

Santa Margarida Maria em resposta a uma consulta, dava o mesmo conselho: "Visto que vos afligis no serviço de Deus, aconselho-vos o seguinte: Não vos perturbeis, basta unirde-vos em tudo o que fizerdes ao Sagrado Coração de Jesus; no começo, para servir de disposição, e no fim para satisfação. Por exemplo, se não podeis ter na oração sentimentos devotos, contentai-vos em oferecer a que o divino Salvador faz por nós no Santíssimo Sacramento do altar, oferecendo seu fervor em reparação de toda a vossa tibieza, e dizei em cada uma de vossas ações: "Meu Deus, eu quero fazer ou sofrer isto em união com o Sagrado Coração de vosso divino Filho, e seguindo suas santas intenções, as quais vos ofereço para reparar tudo quanto de imperfeito e impuro têm as minhas". Em uma palavra, este dulcíssimo Coração suprirá tudo o que puder faltar da vossa parte, pois Ele amará a Deus por vós, e vós amá-lO-eis nEle e por Ele.

Um dia em que Santa Gertrudes orava e fazia esforços para desempenhar com atenção este santo exercício, mas que por fraqueza humana sofria muitas distrações, o que sobremaneira a afligia, pensava: "De semelhante oração, feita, com tantos desvios de espírito, que fruto se pode esperar? Então Jesus, apresentando-lhe Seu Coração, disse-lhe: «Eis Meu Coração, delícias da Santíssima Trindade. Eu to apresento para que supra o que te falta; recomenda-lhe com confiança todas as tuas ações, e ele as fará perfeitas a meus olhos: estará Meu Coração de hoje em diante sempre pronto a servir-te, e por ti suprirá a todos os instantes tuas negligências».

Aproveite esta instrução; se amais, orais, trabalhais e sofreis, amai, orai, trabalhai e sofrei em união com as aflições, trabalhos, orações e sofrimentos do Coração de Jesus.

Ainda mais: quando cometerdes alguma falta, depois de vos humilhardes, ide buscar no Coração de Jesus a virtude contrária à vossa má inclinação; a humildade, por exemplo, a caridade, resignação e paciência com os defeitos do próximo, e oferecei-as ao Pai Eterno em expiação de vossos defeitos. Meio curto e fácil é este de pagardes as vossas dívidas no mesmo instante em que as contraís e de adquirirdes imensos tesouros de merecimentos".

 

 


Era esta a prática habitual da venerável Margarida Maria. Dirigi-vos, como ela, siplesmente ao Coração de Jesus e dizei-lhe depois de vossas culpas: "Senhor, vedes o mal que acabo de praticar; pagai, se vos apraz, pela vossa pobre escrava". À noite, entregai ao adorável Coração todas as ações do dia, a fim de que purifique Ele o que de imperfeito nelas houver.

Oração jaculatória

Eu durmo; vosso Coração, que vos dignais permitir que chame meu, vela por mim, sobre mim e em mim. Ego dorm o et cor meum vigilat (Cant. 5,2).

3 vezes:
Divino Coração de Jesus, tende piedade de nós.
Coração Imaculado de Maria, rogai por nós.

Devoção do mês de junho