Ajude os sites LeiaMe!
Clique no botão para gerar um boleto com sua contribuição:

Quarta semana da Quaresma
Domingo: dia do Senhor!

“Sois muito exatos em contar os sofrimentos. E o sois, porventura, em contar os pecados que os provocam? Pensais, tão só, nos pecados que cometeis durante um dia, sem contar os inumeráveis pecados de toda a vida, que não quero conhecer; e vereis quanta injustiça, quanta ofensa a Deus vos hão de chegar à memória!” (São João Crisóstomo)

      Vivemos contando, medindo cuidadosamente os sofrimentos que nos afligem. De nada nos esquecemos. Costumamos até exagerar as nossas dores. Trazemos pesado e medido o sofrimento, e diante de Deus, nas orações, queremos ser atendidos e não admitimos delongas. E temos coragem de medir, pesar as ofensas, os crimes que cometemos?

      “Se Vós, Senhor, medirdes as nossas iniqüidades, que será de nós?”

      Examinemos cuidadosamente nossas consciências. Um olhar sobre a vida passada, sobre a multidão de nossos pecados. E depois calculemos o que havemos sofrido neste mundo. Não temos mais pecados do que sofrimentos? E se um só pecado mortal merece um castigo eterno, que merecemos com tanto pecado?

      Quem deve mais?

      Não cobremos de Deus as coisas boas que julgamos que Ele nos deve dar. Mas, antes, tenhamos horror de nossos pecados que tanto O ofendem, recorrendo ao tribunal da Misericórdia: o Sacramento da Confissão. Reconciliemo-nos com Deus!

      E mais: reconciliemo-nos com os irmãos! Porque pedimos no Pai Nosso: “perdoai-nos as nossas ofensas, assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido”.

      Parece difícil perdoar? Vejamos o exemplo de Jesus Crucificado e peçamos ajuda ao Pai do Céu, repetidas vezes: “Senhor Deus, Eterno Pai, ensinai-me a perdoar!”

      Tantas vezes nos magoam por ignorância, por não saberem agir melhor, por não terem aprendido a ser de outra maneira! Outras vezes, lembremos que o mal que nos causam propositalmente, resultará em coisa pior para os próprios ofensores, se não se converterem.

      Consideremos tudo isso. Perdoemos, e peçamos perdão a Deus também por aqueles que nos ofendem. “Rezai pelos que vos perseguem”, disse Jesus.

      Deus conhece nossas limitações e fraquezas e quer nosso bem, quer que sejamos santos como Ele é Santo. Ele nos diz para perdoarmos até setenta vezes sete - isto é, sempre!

[adaptado do Breviário da Confiança, Mons. Ascânio Brandão]

 

Ato de Contrição

Meu Jesus, Crucificado por minha culpa, estou arrependido por ter pecado, pois ofendi a Vós, que sois tão Bom, e mereci ser castigado neste mundo e no outro. Perdoai-me, Senhor, não quero mais pecar. Amém!

 

      Prática sugerida: tratar com seriedade a necessidade do perdão mútuo. Roguemos a Deus que nos ajude, com Sua graça, e aprendamos a perdoar verdadeiramente e esquecer. Rezemos também para que aprendamos a nos arrepender e pedir perdão. Que enfim saibamos ver o quanto estamos contaminados pelo pensamento do mundo, acostumado as doutrinas de vingança e materialismo, de busca do próprio bem estar, sem considerarmos o outro. Que enfim rezemos o Pai Nosso como verdadeiros filhos de Deus!
      Façamos um bom exame de consciência, para colhermos os frutos da Páscoa e da grande Festa da Misericórdia, que se aproximam.

 


Devoções