Meditações da Quaresma

Quinta-feira da 3ª Semana da Quaresma

;

Quinta-feira: desagravos ao Santíssimo Sacramento

“Em sua presença eucarística, [Cristo] permanece misteriosamente no meio de nós como aquele que nos amou e que se entregou por nós, e o faz sob os sinais que exprimem e comunicam este amor” (Catecismo, n. 1380)

“Onde está o teu Deus?”, perguntam-nos.

Durante trinta e três anos da história humana, foi possível dizer: “Deus está aqui. Vede-o comer com publicanos e pecadores! Vede-o dormir na proa de uma barca que as ondas ameçam afundar!”

Sim, durante trinta e três anos, mas, e depois? Podemos viajar até os Santos Lugares, percorrer os caminhos que foram calcados pelos pés divinos, subir ao monte onde o Senhor padeceu. Mas tudo isso aconteceu ontem. De que nos adiante - lamentamo-nos - que Deus venha para perto de nós no espaço, se não se aproxima de nós no tempo?

Como sabemos, Deus previu esse nosso lamento, e condescendeu em dar-nos uma solução. Tudo o que se refere ao Santíssimo Sacramento poderá ser obscuro para nós: não vemos o Senhor como é, não podemos sondar o mistério da mudança que se verifica nos elementos consagrados, não temos explicação para omodo como a sagrada comunhão comunica a sua virtude às nossas almas. Mas há uma coisa que podemos dizer, sem confusão nem ambigüidade: Deus está aqui.

Tal como reagiram aqueles dois discípulos quando ouviram São João Batista aclamar o Cordeiro de Deus que tirava os pecados do mundo, assim nós, instruídos pela Igreja, que nos indica Cristo e nos diz que nEle se encontra toda a salvação, queremos saber mais sobre a sua pessoa, conhecê-lo com a luz mais clara possível, vê-lo no seu ambiente, nos contornos que manifestem com mais exatidão o seu caráter. Mestre - perguntamos-lhe -, onde moras? E Ele aponta para o tabernáculo e convida-nos: Vinde e vede.

(Onde Deus mora, in: Reflexões sobre a Eucaristia, de Ronald Knox
Editora Quadrante)

Adoração Eucarística

Oração diante do Santíssimo Sacramento

Salve, Verdadeiro corpo
nascido de Maria Virgem!
Verdadeiramente sofrido
e imolado pelo homem na cruz.
De vosso lado transpassado
brotou água e sangue.
Sede por nós o penhor
no momento da morte.
Ó Jesus doce,
ó Jesus piedoso,
ó Jesus, filho de Maria!