Meditações da Quaresma

Quarta-feira da Semana Santa

Dia de orações pelas vocações sacerdotais

“Se quiseres chegar a possuir Cristo, jamais O busques sem a Cruz”.
(São João da Cruz)

Cristo, a quem coube a Paixão mais dolorosa, foi o primeiro dos três [crucificados] a morrer.

Mas, antes, o Mau Ladrão gritava-lhe lá em cima, da sua cruz; e o seu desafio era acompanhado no chão por soldados, verdugos e sacerdotes hebreus:

- Anda, se é verdade que és Filho de Deus, desce da Cruz e acreditaremos em Ti.

Mentira. Não teriam acreditado.
Exigimos sempre de Deus uma prova diferente da que nos dá.
Com esta argúcia, julgamos justificar-nos.
Pediam um milagre: que descesse da Cruz; então, seria Deus.
E não era maior milagre não querer descer da cruz e agüentar-se nela? Não era maior a prova da sua divina paciência?

Assim o entendeu o Bom Ladrão:

- Senhor, lembra-te de mim quando estiveres no Teu Reino!

O que queria o Mau Ladrão não era um milagre como prova de fé, mas um milagre proveitoso e eficaz, que o livrasse da dor e da morte:

- Já que estamos os três no mesmo suplício, livra-Te a Ti e a nós; desce-nos a todos da cruz e acreditaremos em Ti.

Condiciona a fé à sua comodidade e prazer.
Com uma blasfêmia, pede um milagre que lhe evite o sofrimento.
Cego pela raiva, insulta e desafia o Único que pode salvá-lo.
Fixa condições para crer.

Como se a fé fosse uma oferta ou uma gorjeta que o homem agradecido dá a Deus e não uma espontânea e misteriosa dádiva, que Deus dá ao homem.

Não lhe interessa nem a fé nem o milagre como tal. Nem Deus.

E morre, descrente, junto ao milagre mais portentoso da História: um Deus Crucificado, que não quer descer da cruz.

Ainda que, por se quedar nela, haja quem pense: não desce, porque não pode.

Quando precisamente a nossa Redenção se beaseava em que Cristo suportasse tudo e agüentasse na cruz sem descer, morrendo pregado nela.

Ramón Cué, SJ
O meu Cristo partido

Ordenação

Oração a São José pelas vocações

Ó São José, que fostes escolhido por Deus para ser o guarda fiel de Jesus e de Maria, olhai para as necessidades que temos de Sacerdotes, de Irmãos e Missionários, que sejam sobretudo educadores da juventude.

Obtende-nos numerosos continuadores da obra que realizastes junto de Jesus Menino e adolescente, na pessoa de tantos jovens que esperam quem os preserve do erro e do vício e quem lhes distribua a palavra de Deus e saiba orientá-los para os caminhos consoladores da virtude.

Iluminai as famílias cristãs para que compreendam o dever e a honra de responder ao divino Senhor da messe, que convida a trabalhar com ele na mística vinha da Igreja, e fazei que os jovens sejam dóceis ao chamado divino e perseverantes na sua vocação.

Que o vosso patrocínio enriqueça as comunidades cristãs com muitas e santas vocações para a glória de Jesus, para a honra de vossa esposa Maria Santíssima, para a propagação do vosso culto, especialmente entre os jovens e operários e para o crescimento da santa Igreja.
Amém.