Oitava de Páscoa

Segunda-feira

Segunda-feira da Oitava da Páscoa

Os dons dos Sacramentos nos revelam de modo particular a Misericórdia de Deus para conosco. A redenção permanece atuante através dos Sacramentos.

Por isso, os Padres da Igreja viam simbolizada, na Água e no Sangue jorrados do lado traspassado de Jesus, a imagem mais bela de todos os Sacramentos os quais têm o duplo poder de purificar e de santificar as nossas almas.

É altamente significativo que a instituição do Sacramento da Reconciliação venha anunciada no trecho do Evangelho prescrito para o primeiro domingo após a Páscoa, estabelecido por Jesus como Festa da Misericórdia.

Missal Romano

Bendito seja Deus, Pai de nosso Senhor Jesus Cristo. Em sua grande misericórdia, pela ressurreição de Jesus Cristo dentre os mortos, ele nos fez nascer de novo, para uma esperança viva, para uma herança incorruptível, que não estraga, que não se mancha nem murcha, e que é reservada para vós nos céus. Graças à fé, e pelo poder de Deus, vós fostes guardados para a salvação que deve manifestar-se nos últimos tempos. Isto é motivo de alegria para vós, embora seja necessário que agora fiqueis por algum tempo aflitos, por causa de várias provações. Deste modo, a vossa fé será provada como sendo verdadeira – mais preciosa que o ouro perecível, que é provado no fogo – e alcançará louvor, honra e glória, no dia da manifestação de Jesus Cristo. Sem ter visto o Senhor, vós o amais. Sem o ver ainda, nele acreditais. Isso será para vós fonte de alegria indizível e gloriosa, pois obtereis aquilo em que acreditais: a vossa salvação.
(Início da Primeira Carta de São Pedro 1,3-9)

Novena à Divina Misericórdia - 4º dia
Novena à Divina Misericórdia