Devoção do Mês de Maio

Quarto Dia

Oração Preparatória

Abri, Senhor, os nossos lábios, para que dignamente louvemos o Vosso Santo Nome, na veneração da Santíssima Virgem Maria. Purificai nossos corações de todos os pensamentos perversos, vãos e inúteis. Iluminai o nosso entendimento, inflamai a nossa vontade, para que possamos fazer a nossa oração com verdadeira humildade, firme confiança e fervorosa devoção e mereçamos ser atendidos e bem despachados perante o Augusto Trono da Vossa Divina Majestade. Por Jesus Cristo Nosso Senhor. 
Amém.

Oração de Oferecimento

Virgem Santíssima, gloriosa Mãe de Deus, ó Maria! Eis-nos diante de Vós novamente reunidos para manifestar-Vos a nossa veneração e o nosso amor. Alegramo-nos pela alta dignidade e glória a Vós concedida pelo Deus todo-poderoso. Louvamos e bendizemos ao Senhor, por nos ter dado a Vós por Mãe, por ter adornado do mais perfeito amor o Vosso Puríssimo e Sagrado Coração.  

Consagramos a Vós, Virgem Santíssima, todos os dias deste mês e especialmente o dia de hoje. Hoje e sempre Vos escolhemos por nossa protetora e intercessora junto a Jesus, Vosso Filho. A Vós consagramos nosso coração, nosso corpo e nossa alma. Em Vossas mãos entregamos todas as nossas esperanças e consolações, todas as nossas aflições e tribulações. A Vós recomendamos a nossa vida inteira e em particular os últimos instantes dela. Mostrai ser nossa Mãe! Ao Vosso patrocínio recomendamos a Santa Igreja Católica, especialmente o Papa Francisco, todos os bispos, o clero secular e regular, e as benditas almas do purgatório.  

Compraza-se o Vosso carinhoso Coração nos nossos cânticos e piedosas orações. Juntamo-las neste mês às orações de todos os fiéis e aos louvores que os Anjos no Céu oferecem a Vós, sua amabilíssima Rainha. Alcançai-nos a graça, a maior de todas, de sermos fiéis a Vós e a Vosso Filho até a morte, para que possamos louvar e amar convosco no Céu a Jesus, Vosso Filho e a Santíssima Trindade, por todos os séculos dos séculos.  
Amém.

 
 


Quarto dia

A Natividade da Santíssima Virgem

1. O nascimento de Maria foi motivo de alegria para o Céu. Nasceu afinal aquela que era destinada a ser a Mãe do Salvador. Ia começar a grande obra da salvação, por estes motivos reinava júbilo no Céu. 
Na terra, entretanto, aquele dia passou completamente desapercebido. Embora fosse um dia tão faustoso para o mundo inteiro, não houve manifestações de júbilo, nem alegria, porque ninguém adivinhava a imensa importância do nascimento daquela menina. Sobre o nascimento de Maria, nem a Sagrada Escritura, nem a Tradição nos dão notícia alguma. 
Sabemos apenas que Maria teve por pais São Joaquim e Santa Ana, outros pormenores dos primeiros dias da vida dela ignoramos. 

2. O nascimento de Maria foi fundamento de esperança para a terra. O mundo suspirava pela vinda do Redentor prometido havia quatro mil anos. Aproxima-se, afinal, o dia em que Ele deve aparecer sobre a terra e livrar os homens do triste cativeiro do demônio. 
Assim como a aurora precede o sol, que vem dissipar as trevas da noite e derramar as ondas da sua luz brilhante sobre a terra, assim anuncia o nascimento de Maria a próxima vinda do verdadeiro Sol da justiça, que vem dissipar as trevas da ignorância e do pecado. Alegremo-nos pelo nascimento da futura Mãe do Salvador. 
Ajoelhemos junto do berço da futura Rainha do Céu e consagremos-lhe desde já todos os afetos de nossos corações. 

3. O nascimento da Santíssima Virgem foi causa de terror para o inferno. 
Qual não deveria ser a raiva do demônio ao ver pela primeira vez essa mulher forte, anunciada desde o princípio do mundo que lhe havia de esmagar a cabeça? 
Com que ciúme furioso não veria as graças e prerrogativas admiráveis, de que era cumulada desde o primeiro instante da sua existência! 
Satanás, o inimigo do gênero humano, por sua astuciosa malícia tinha conseguido no paraíso precipitar o homem na mais tremenda desgraça e o mantinha seguro no seu horrível cativeiro. O gênero humano era dele, podia-se dizer: ninguém o perturbava na sua posse tranqüila. 
Mas eis que aí vem aquela que deve dar ao mundo o Salvador, que veio combater o demônio, desarmá-lo e vencê-lo. 
Quanta raiva infernal, quanto ódio devia sentir o demônio contra esta menina recém-nascida! 
Nós fomos remidos do cativeiro do demônio pelo divino Filho da Santíssima Virgem. Sejamos cautelosos para não nos entregarmos por nossa própria culpa de novo à escravidão do demônio, pois se a morte nos surpreender neste estado, a escravidão tornar-se-á eterna e não haverá mais meio para livrar-nos dela. 

Rezemos 3 Ave-Marias para louvar a Deus pelo nascimento da Santíssima Virgem.

Orações finais