Devoção do Mês de Maio

Terceiro Dia

Oração Preparatória

Abri, Senhor, os nossos lábios, para que dignamente louvemos o Vosso Santo Nome, na veneração da Santíssima Virgem Maria. Purificai nossos corações de todos os pensamentos perversos, vãos e inúteis. Iluminai o nosso entendimento, inflamai a nossa vontade, para que possamos fazer a nossa oração com verdadeira humildade, firme confiança e fervorosa devoção e mereçamos ser atendidos e bem despachados perante o Augusto Trono da Vossa Divina Majestade. Por Jesus Cristo Nosso Senhor. 
Amém.

Oração de Oferecimento

Virgem Santíssima, gloriosa Mãe de Deus, ó Maria! Eis-nos diante de Vós novamente reunidos para manifestar-Vos a nossa veneração e o nosso amor. Alegramo-nos pela alta dignidade e glória a Vós concedida pelo Deus todo-poderoso. Louvamos e bendizemos ao Senhor, por nos ter dado a Vós por Mãe, por ter adornado do mais perfeito amor o Vosso Puríssimo e Sagrado Coração.  

Consagramos a Vós, Virgem Santíssima, todos os dias deste mês e especialmente o dia de hoje. Hoje e sempre Vos escolhemos por nossa protetora e intercessora junto a Jesus, Vosso Filho. A Vós consagramos nosso coração, nosso corpo e nossa alma. Em Vossas mãos entregamos todas as nossas esperanças e consolações, todas as nossas aflições e tribulações. A Vós recomendamos a nossa vida inteira e em particular os últimos instantes dela. Mostrai ser nossa Mãe! Ao Vosso patrocínio recomendamos a Santa Igreja Católica, especialmente o Papa Francisco, todos os bispos, o clero secular e regular, e as benditas almas do purgatório.  

Compraza-se o Vosso carinhoso Coração nos nossos cânticos e piedosas orações. Juntamo-las neste mês às orações de todos os fiéis e aos louvores que os Anjos no Céu oferecem a Vós, sua amabilíssima Rainha. Alcançai-nos a graça, a maior de todas, de sermos fiéis a Vós e a Vosso Filho até a morte, para que possamos louvar e amar convosco no Céu a Jesus, Vosso Filho e a Santíssima Trindade, por todos os séculos dos séculos.  
Amém.

 
 


Terceiro dia

A Imaculada Conceição da Santíssima Virgem

1. Consideremos a graça concedida a Maria na concepção. Por um privilégio só a ela concedido, foi preservada do pecado original, de que todos nascem manchados. A qualidade de Mãe de Deus, para a qual Maria estava destinada, exigia tão gloriosa prerrogativa. Aquela que devia dar ao mundo o Deus de toda a santidade, que era destinada a esmagar a cabeça da serpente infernal, não devia ser nem por um só momento escrava do demônio, inimiga de Deus e filha da perdição. Por isso, Deus devia abrir uma exceção da regra geral e não permitir que o pecado original manchasse a alma daquela que mais tarde devia ser a Mãe de Jesus. 
Maria Santíssima foi concebida e nasceu santa e pura e sem mancha do pecado original. 

2. A Santíssima Virgem era Mãe de Deus, elevada pois à mais alta dignidade, que uma criatura pode galgar, mas a prerrogativa da Imaculada Conceição, a isenção do pecado original, parecia-lhe - conforme dizem os santos doutores - mais preciosa do que todas as outras dignidades e grandezas. Teria preferido à própria maternidade divina a graça de ser livre do pecado original. A mais elevada dignidade não lhe parecia uma compensação digna pela desgraça de estar, embora por pouco tempo, em estado de pecado. 
Aprendamos da nossa venerável Mãe a temer e aborrecer o pecado mais do que todas as outras desgraças. 

3. Quanto fez Maria para conservar esta graça! Conquanto isenta não só do pecado original, mas também da inclinação para o mal, passava contudo uma vida laboriosa e mortificada, para evitar a mínima tentação exterior. Amava a vida penitente e solitária, rezava e trabalhava. Que exemplo para nós! Tomamos também as precauções necessárias para evitar os pecados? Nascemos com o pecado original, sentimos o estímulo das nossas paixões, temos uma inclinação violenta para o mal e, apesar de tudo isso, não fazemos os necessários esforços para evitar as ocasiões próximas do pecado. 
Quanta leviandade! 
Recorramos a Maria para que ela nos inspire um horror do pecado e nos alcance a força moral para resistir às tentações. 
Ó Maria concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a vós! 

Rezemos 3 Ave-Marias para obter um grande horror do pecado.

Orações finais