Devoção do Mês de Maio

Trigésimo Dia

Oração Preparatória

Abri, Senhor, os nossos lábios, para que dignamente louvemos o Vosso Santo Nome, na veneração da Santíssima Virgem Maria. Purificai nossos corações de todos os pensamentos perversos, vãos e inúteis. Iluminai o nosso entendimento, inflamai a nossa vontade, para que possamos fazer a nossa oração com verdadeira humildade, firme confiança e fervorosa devoção e mereçamos ser atendidos e bem despachados perante o Augusto Trono da Vossa Divina Majestade. Por Jesus Cristo Nosso Senhor. 
Amém.

Oração de Oferecimento

Virgem Santíssima, gloriosa Mãe de Deus, ó Maria! Eis-nos diante de Vós novamente reunidos para manifestar-Vos a nossa veneração e o nosso amor. Alegramo-nos pela alta dignidade e glória a Vós concedida pelo Deus todo-poderoso. Louvamos e bendizemos ao Senhor, por nos ter dado a Vós por Mãe, por ter adornado do mais perfeito amor o Vosso Puríssimo e Sagrado Coração.  

Consagramos a Vós, Virgem Santíssima, todos os dias deste mês e especialmente o dia de hoje. Hoje e sempre Vos escolhemos por nossa protetora e intercessora junto a Jesus, Vosso Filho. A Vós consagramos nosso coração, nosso corpo e nossa alma. Em Vossas mãos entregamos todas as nossas esperanças e consolações, todas as nossas aflições e tribulações. A Vós recomendamos a nossa vida inteira e em particular os últimos instantes dela. Mostrai ser nossa Mãe! Ao Vosso patrocínio recomendamos a Santa Igreja Católica, especialmente o Papa Francisco, todos os bispos, o clero secular e regular, e as benditas almas do purgatório.  

Compraza-se o Vosso carinhoso Coração nos nossos cânticos e piedosas orações. Juntamo-las neste mês às orações de todos os fiéis e aos louvores que os Anjos no Céu oferecem a Vós, sua amabilíssima Rainha. Alcançai-nos a graça, a maior de todas, de sermos fiéis a Vós e a Vosso Filho até a morte, para que possamos louvar e amar convosco no Céu a Jesus, Vosso Filho e a Santíssima Trindade, por todos os séculos dos séculos.  
Amém.

 
 


Trigésimo dia

Da nossa consagração à Santíssima Virgem

1. A nossa consagração à Mãe de Deus, para que possa ser agradável a ela e proveitosa para nós, deve ser sincera, perfeita e irrevogável. A sinceridade exige que a nossa devoção não consista unicamente em palavras e vãos protestos de fidelidade, mas que parta de um coração cheio de profundo respeito, de veneração e de ternura para com a nossa admirável Mãe. 
Para que a nossa consagração seja perfeita, é necessário dedicar a Maria tudo o que somos e tudo quanto possuímos; para que ela possa dispor de nós conforme lhe aprouver. Esta entrega total, além disto, deve ser irrevogável. Uma vez que nos consagramos a Maria, devemos considerar-nos filhos e servos desta augusta Rainha e procurar servir-lhe do melhor modo possível. 

2. A quanto nos obriga a nossa consagração a Maria. Na qualidade de filhos e servos da Rainha do céu, devemos honrá-la e servir-lhe todos os dias da nossa vida com o mais profundo respeito e da maior boa vontade. Devemos amá-la como nossa Mãe com toda a ternura de que são capazes os nossos corações, invocá-la todos os dias com inteira confiança e imitar, quanto possível nos for, as suas virtudes. Uma consagração sem estes sentimentos e intenções não passaria de uma farsa. 

3. Consideremos as utilidades desta consagração. A devoção à Mãe de Deus, diz um devoto autor, traz consigo tantas bênçãos que a eternidade toda não será longa demais para reconhecer os benefícios que dela nos emanam. Os enfermos encontram nela o remédio de seus males, os fracos força, os aflitos consolação. O coração de Maria é, depois do de Jesus, o mais puro, o mais terno, o mais compassivo de todos os corações e tem para conosco a maior ternura e compaixão e a melhor vontade de socorrer-nos. 

Rezemos 3 Ave-Marias para obter a graça de consagrar-nos a Maria de coração e para sempre.

Orações finais