Devoção do Mês de Maio

Décimo Segundo Dia

Oração Preparatória

Abri, Senhor, os nossos lábios, para que dignamente louvemos o Vosso Santo Nome, na veneração da Santíssima Virgem Maria. Purificai nossos corações de todos os pensamentos perversos, vãos e inúteis. Iluminai o nosso entendimento, inflamai a nossa vontade, para que possamos fazer a nossa oração com verdadeira humildade, firme confiança e fervorosa devoção e mereçamos ser atendidos e bem despachados perante o Augusto Trono da Vossa Divina Majestade. Por Jesus Cristo Nosso Senhor. 
Amém.

Oração de Oferecimento

Virgem Santíssima, gloriosa Mãe de Deus, ó Maria! Eis-nos diante de Vós novamente reunidos para manifestar-Vos a nossa veneração e o nosso amor. Alegramo-nos pela alta dignidade e glória a Vós concedida pelo Deus todo-poderoso. Louvamos e bendizemos ao Senhor, por nos ter dado a Vós por Mãe, por ter adornado do mais perfeito amor o Vosso Puríssimo e Sagrado Coração.  

Consagramos a Vós, Virgem Santíssima, todos os dias deste mês e especialmente o dia de hoje. Hoje e sempre Vos escolhemos por nossa protetora e intercessora junto a Jesus, Vosso Filho. A Vós consagramos nosso coração, nosso corpo e nossa alma. Em Vossas mãos entregamos todas as nossas esperanças e consolações, todas as nossas aflições e tribulações. A Vós recomendamos a nossa vida inteira e em particular os últimos instantes dela. Mostrai ser nossa Mãe! Ao Vosso patrocínio recomendamos a Santa Igreja Católica, especialmente o Papa Francisco, todos os bispos, o clero secular e regular, e as benditas almas do purgatório.  

Compraza-se o Vosso carinhoso Coração nos nossos cânticos e piedosas orações. Juntamo-las neste mês às orações de todos os fiéis e aos louvores que os Anjos no Céu oferecem a Vós, sua amabilíssima Rainha. Alcançai-nos a graça, a maior de todas, de sermos fiéis a Vós e a Vosso Filho até a morte, para que possamos louvar e amar convosco no Céu a Jesus, Vosso Filho e a Santíssima Trindade, por todos os séculos dos séculos.  
Amém.

 

 


Décimo segundo dia

Prodígios que Deus obra na Visitação de Maria

1. O Salvador serve-se da sua Mãe para tirar São João, antes do seu nascimento, do estado de pecado no qual foi concebido, como todos os outros homens, e para cumulá-lo de graças e bênçãos. Jesus queria que sua santa Mãe fosse o instrumento da primeira santificação que ia obrar depois sua vinda ao mundo. Desta maneira, Jesus queria ensinar-nos que a sua santa Mãe é a mediadora e depositária de todas as graças, e que a ela devemos recorrer em todas as necessidades. 

2. São João, por esta visita de Nossa Senhora, fica purificado da mancha do pecado original. O santo precursor, ainda no seio da sua mãe, ouve a voz da Mãe de Deus, sente a presença de seu Senhor, adora-o e salta de alegria em sua presença. Seu coração fica abrasado com o fogo do santo amor de Deus, e uma imensa alegria inunda-lhe a alma enriquecida por esta visita, com graças extraordinárias. 
Quando Jesus vem a nós pela santa comunhão, também está disposto a abrasar o nosso coração e cumular-nos de graças, se o recebemos com a devida preparação e lhe oferecemos um coração dócil. 

3. A visita de Maria foi uma felicidade também para Zacarias e Isabel, os santos pais do precursor. O divino Salvador os honra com a sua presença e traz bênção a sua casa. Feliz casa onde Jesus se digna de habitar com a sua santa Mãe! Durante três meses, Zacarias e Isabel tiveram diante dos olhos os exemplos edificantes da extrema humildade, da ardente caridade e fervorosa devoção de Nossa Senhora. É fácil de imaginar a imressão que o exemplo edificante da Santa Virgem devia fazer nestes piedosos esposos e quanto aproveitaram destes exemplos para a sua própria santificação. 
Não obriguemos nunca, pelo pecado, a Jesus e Maria a se afastarem de nós. 

Rezemos 3 Ave-Marias para obter a graça de nunca mais separar-nos de Deus por um pecado mortal.

Orações finais