Devoção do Mês de Maio

Décimo Terceiro Dia

Oração Preparatória

Abri, Senhor, os nossos lábios, para que dignamente louvemos o Vosso Santo Nome, na veneração da Santíssima Virgem Maria. Purificai nossos corações de todos os pensamentos perversos, vãos e inúteis. Iluminai o nosso entendimento, inflamai a nossa vontade, para que possamos fazer a nossa oração com verdadeira humildade, firme confiança e fervorosa devoção e mereçamos ser atendidos e bem despachados perante o Augusto Trono da Vossa Divina Majestade. Por Jesus Cristo Nosso Senhor. 
Amém.

Oração de Oferecimento

Virgem Santíssima, gloriosa Mãe de Deus, ó Maria! Eis-nos diante de Vós novamente reunidos para manifestar-Vos a nossa veneração e o nosso amor. Alegramo-nos pela alta dignidade e glória a Vós concedida pelo Deus todo-poderoso. Louvamos e bendizemos ao Senhor, por nos ter dado a Vós por Mãe, por ter adornado do mais perfeito amor o Vosso Puríssimo e Sagrado Coração.  

Consagramos a Vós, Virgem Santíssima, todos os dias deste mês e especialmente o dia de hoje. Hoje e sempre Vos escolhemos por nossa protetora e intercessora junto a Jesus, Vosso Filho. A Vós consagramos nosso coração, nosso corpo e nossa alma. Em Vossas mãos entregamos todas as nossas esperanças e consolações, todas as nossas aflições e tribulações. A Vós recomendamos a nossa vida inteira e em particular os últimos instantes dela. Mostrai ser nossa Mãe! Ao Vosso patrocínio recomendamos a Santa Igreja Católica, especialmente o Papa Francisco, todos os bispos, o clero secular e regular, e as benditas almas do purgatório.  

Compraza-se o Vosso carinhoso Coração nos nossos cânticos e piedosas orações. Juntamo-las neste mês às orações de todos os fiéis e aos louvores que os Anjos no Céu oferecem a Vós, sua amabilíssima Rainha. Alcançai-nos a graça, a maior de todas, de sermos fiéis a Vós e a Vosso Filho até a morte, para que possamos louvar e amar convosco no Céu a Jesus, Vosso Filho e a Santíssima Trindade, por todos os séculos dos séculos.  
Amém.

 

 


Décimo terceiro dia

Sobre a dúvida de São José

1. Considera a prudência e caridade de São José. Três meses prestou Maria os seus serviços a Santa Isabel. Depois do nascimento de João Batista, Maria voltou à sua casa em Nazaré, onde São José tinha a sua oficina. 
Achando-se outra vez em casa, São José percebeu o estado em que Maria Santíssima se achava. Perturbou-se vivamente o santo patriarca, vendo que a virgem era mãe. Mas, como era justo e não queria difamar a esposa querida, cuja virtude conhecia, resolveu deixá-la ocultamente. Exemplo admirável de doçura, de prudência, de moderação e de caridade! O alto conceito que tinha da santidade de sua casta esposa não lhe permitia que dela desconfiasse. 
Suspende, portanto, o seu juízo, trata a sua esposa com as mesmas atenções, a mesma caridade e o mesmo respeito, e entrega tudo aos cuidados da divina providência. 
Quantos pecados não evitaríamos nós, se tivéssemos a mesma prudência, a mesma caridade para com o nosso próximo. Mas nós estamos muito inclinados a fazer juízos temerários do nosso próximo e a julgá-lo e condená-lo só pela aparência. 

2. Considera a humildade e paciência da Santíssima Virgem. Sabia tudo, via a perturbação de seu esposo, mas não procurava justificar-se, guardava silêncio e resignava-se. Maria Santíssima punha toda a sua confiança em Deus, consolava-se na oração e entregava à divina providência a sua justificação. 
Se Deus alguma vez permitir, na sua sabedoria, que nos acusem e façam juízo temerário de nós, imitemos o exemplo da nossa Mãe celeste. 

3. Considera a intervenção de Deus neste caso. Se Deus impôs tão dura prova a estes santos esposos, não foi senão para dar-lhes ensejo para praticar atos heróicos de virtude. Mas quando José pensava em separar-se ocultamente de Maria, Deus mandou um anjo, que lhe disse: "José, filho de Davi, não temas receber Maria tua esposa, porque aquele que está em seu seio é obra do Espírito Santo. Ela dará à luz um filho, ao qual porás o nome de Jesus, porque será ele que há de salvar o seu povo, livrando-o dos pecados." José, obediente à voz divina e ciente do grande mistério, tratava a sua santa esposa com mais respeito ainda, julgando-se imensamente feliz ser o pai adotivo do Salvador do mundo. 

Rezemos 3 Ave-Marias para obter a graça de entregar-nos sem reserva à providência divina.

Orações finais