Devoção do Mês de Maio

Vigésimo Primeiro Dia

Oração Preparatória

Abri, Senhor, os nossos lábios, para que dignamente louvemos o Vosso Santo Nome, na veneração da Santíssima Virgem Maria. Purificai nossos corações de todos os pensamentos perversos, vãos e inúteis. Iluminai o nosso entendimento, inflamai a nossa vontade, para que possamos fazer a nossa oração com verdadeira humildade, firme confiança e fervorosa devoção e mereçamos ser atendidos e bem despachados perante o Augusto Trono da Vossa Divina Majestade. Por Jesus Cristo Nosso Senhor. 
Amém.

Oração de Oferecimento

Virgem Santíssima, gloriosa Mãe de Deus, ó Maria! Eis-nos diante de Vós novamente reunidos para manifestar-Vos a nossa veneração e o nosso amor. Alegramo-nos pela alta dignidade e glória a Vós concedida pelo Deus todo-poderoso. Louvamos e bendizemos ao Senhor, por nos ter dado a Vós por Mãe, por ter adornado do mais perfeito amor o Vosso Puríssimo e Sagrado Coração.  

Consagramos a Vós, Virgem Santíssima, todos os dias deste mês e especialmente o dia de hoje. Hoje e sempre Vos escolhemos por nossa protetora e intercessora junto a Jesus, Vosso Filho. A Vós consagramos nosso coração, nosso corpo e nossa alma. Em Vossas mãos entregamos todas as nossas esperanças e consolações, todas as nossas aflições e tribulações. A Vós recomendamos a nossa vida inteira e em particular os últimos instantes dela. Mostrai ser nossa Mãe! Ao Vosso patrocínio recomendamos a Santa Igreja Católica, especialmente o Papa Francisco, todos os bispos, o clero secular e regular, e as benditas almas do purgatório.  

Compraza-se o Vosso carinhoso Coração nos nossos cânticos e piedosas orações. Juntamo-las neste mês às orações de todos os fiéis e aos louvores que os Anjos no Céu oferecem a Vós, sua amabilíssima Rainha. Alcançai-nos a graça, a maior de todas, de sermos fiéis a Vós e a Vosso Filho até a morte, para que possamos louvar e amar convosco no Céu a Jesus, Vosso Filho e a Santíssima Trindade, por todos os séculos dos séculos.  
Amém.

 
 


Vigésimo primeiro dia

Prazeres de Nossa Senhora depois da ressurreição de Jesus

1. Considera a alegria de Maria, vendo ressuscitado o seu Filho, vencedor glorioso da morte e do inferno.
Ainda que não o diga o Evangelho, pode-se piamente crer que Maria Santíssima foi a primeira pessoa à qual se mostrou o Salvador em estado glorioso.
O respeito tributado a sua augusta Mãe, o amor que lhe consagrava, a ternura de Maria por seu divino Filho, parecem reclamar tão honrosa distinção. Mais do que todos os outros, ela havia tomado parte nas dores da paixão; era justo, pois, que fosse a primeira para tomar parte nas alegrias do triunfo. 

2. Considera o júbilo e a inefável satisfação que inundaram a alma da Santa Virgem ao ver seu Filho revestido de glória e de imortalidade. Esse momento largamente recompensou todas as dores e angústias suportadas nos dias antecedentes.
Pode-se dizer que Maria começou então a gozar uma parte daquela torrente de delícias de que gozam os bem-aventurados no céu. 

3. Considera qual a alegria da Santa Virgem vendo Jesus de novo rodeado dos discípulos e apóstolos. Nos dias amargos da sua paixão, todos, exceto João, único que teve coragem de acompanhá-lo ao Calvário, o tinha abandonado. Vacilaram na fé.
Depois da ressurreição, os discípulos voltaram ao Senhor, e até Tomé, o mais desconfiado e obstinado, quando Nosso Senhor lhe apresentou as suas chagas para apalpá-las, caiu de joelhos exclamando: "Meu Senhor e meu Deus".  Estas palavras foram a espontânea profissão da sua fé e a expressão do seu arrependimento. Maria Santíssima via com inefável satisfação tornar a seu divino Filho estas ovelhas errantes e fugitivas.
Não nos separemos nunca de Jesus; recorramos na hora da tentação a nossa Mãe celeste, ela nos ajudará a ficar fiéis a Nosso Senhor. 

Rezemos 3 Ave-Marias para pedir o auxílio de Nossa Senhora em todas as tentações.

Orações finais